CAMPANHA DO AGASALHO

Mais de 6.700 peças já foram doadas em Hulha Negra

Salete acompanhou o cunhado na procura das peças Foto: Silvana Antunes/Especial TP

Continua até a próxima semana o período oficial da Campanha do Agasalho 2017 de Hulha Negra. A campanha teve início em junho, mas foi intensificada no mês de julho, período mais frio do ano, pela Secretaria de Assistência Social do município.

Até a metade desta semana, quando a reportagem do Tribuna do Pampa (TP) visitou o Centro de Referência da Assistência Social (Cras), 280 famílias já haviam sido beneficiadas com a campanha, totalizando 6.780 peças doadas.

De acordo com a secretária de Assistência Social de Hulha Negra, Elisete Brasil, a Maninha, os resultados da campanha são positivos e as doações deverão continuar após o dia 15. “A data é um período oficial, mas as doações continuarão sendo realizadas durante todo o ano. Sempre que houver necessidade a população pode vir até o Cras que receberá os agasalhos”, afirma Maninha, que explica também que em Hulha Negra, em razão dos assentamentos, há certa dificuldade de acesso de uma parcela da população à sede, principalmente em conseqüência da falta de transporte.

A secretária expõe também, ser gratificante ver o trabalho dando os resultados esperados. “Com bastante trabalho conseguimos organizar os agasalhos, lavá-los após instalar a máquina de lavar e a comunidade recebeu aquilo que lhe faltava. Saber que pouco ou muito estamos contribuindo com alguma família é a melhor recompensa”, salienta Maninha.

As doações são provenientes da própria comunidade de Hulha Negra e do governo do Estado, que além de roupas e calçados, efetuou a entrega de cobertores e jogos de cama que eram uma necessidade do Cras.

Das famílias beneficiadas não estão inclusas as residentes no Assentamento Jaguarão, considerado um dos mais distantes da sede do município e divisa com a cidade de Aceguá. Quanto a este caso específico, segundo a secretária, está previsto para aconteceu até o dia 15 de agosto, uma visita do Cras ao assentamento para a entrega dos agasalhos e já cadastro das famílias daquela comunidade.

De forma voluntária, Cristiane faz o cadastro das peças Foto: Silvana Antunes/Especial TP

Um exemplo do quanto o cuidado com os agasalhos e a campanha é importante para a comunidade, pode ser constatado através do relato de Salete de Quadros, moradora do Assentamento Tapete Verde. Acompanhando o cunhado na busca de algumas peças enquanto o TP visitava o Cras, ela relata que contar com a ajuda é muito importante. “Meu cunhado perdeu tudo em um incêndio na peça onde ele morava. Não sobrou nada, ficou somente com a roupa do corpo. Ajudamos com alguma coisa, mas viemos até o Cras para tentarmos conseguir o que faltava pra ele”, relata.

VOLUNTÁRIA – Em meio a um gesto já bonito que é a doação por intermédio da Campanha do Agasalho, uma atitude tem feito a diferença no Cras. Através de um trabalho voluntário, Cristiane Silva Garcia, auxilia na entrega dos agasalhos, separando e anotando as doações. Questionada quanto à iniciativa de deixar a residência para fazer o trabalho de separação e contabilidade das peças, ela é enfática. “Eu estava em casa sem fazer nada e deprimida. Surgiu a oportunidade de fazer esse trabalho e vim, pois ao mesmo tempo em que ajudo as pessoas no que elas precisam, também estou fazendo um bem a mim. Minha rotina mudou completamente”, conta Cristiane.

VERÃO – Um diferencial exposto pela secretária Maninha refere-se a uma Campanha do Agasalho que deverá ocorrer nos meses que antecedem o verão, período mais quente do ano. Segundo ela, há muita roupa para a estação disponível para a comunidade que também necessita de auxílio durante os meses de calor.

Comentários do Facebook