ABASTECIMENTO

Nova ETA da Vila Operária deve ser concluída no final deste mês

Assim como a da sede do município, também haverá monitoramento 24h

Você ainda possui 2 notícias no acesso gratuito. Efetue login ou assine para acesso completo.

Equipe da Prefeitura visitou a obra que já está em fase de conclusão Foto: Raíssa Vargas/Especial TP

O município de Candiota está bem próximo de melhorar consideravelmente o abastecimento de água para moradores de cinco localidades específicas, que sofrem há anos com o problema. Essa informação foi confirmada pela reportagem na tarde desta quarta-feira (30), em conversa com o engenheiro da Prefeitura e responsável pela obra da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Vila Operária. Segundo Marcelo Leal, a conclusão está prevista para o final do mês de novembro.

De acordo com o profissional, as localidades da Vila Operária, São Simão, União (Cootracan), João Emílio e Seival passarão a ser abastecidas pela nova ETA assim que ocorrer a finalização do serviço. “A ETA tem capacidade de produção de 60 litros por segundo (216 mil litros por hora) e até esta etapa da obra ocorreu a implantação de floculodecantadores, filtros, leito de secagem, tanque de recirculação, reservatório metálico com capacidade de 500 mil litros, bombas e tubulação para interligação do sistema”, detalhou.

A retomada do trabalho, que estava parado desde 2017 e havia sido 80% concluído, teve início sob a responsabilidade de uma nova empresa em janeiro de 2019. Conforme repassado para o TP, atualmente cerca de 15 profissionais – divididos em duas equipes -, atuam para a finalização da ETA. Segundo o secretário de Administração e Finanças, Alexandre Vedooto, o valor total para conclusão dos serviços é de R$ 2,2 milhões – sendo 1,5 milhões de recursos da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e R$ 700 mil de contrapartida da Prefeitura de Candiota.

Para o secretário de Obras e Serviços Públicos, Artemio Parcianello, a medida vem para oferecer quantidade e qualidade de abastecimento de água para comunidade de Candiota. “O município vem trabalhando na perspectiva de ter duas grandes Estações de Tratamento de Água (ETAs) para atender toda a população. Já existe uma em funcionamento na sede do município, que atende também alguns assentamentos e que futuramente vai atender a Vila Residencial, bem como ampliação do atendimento à zona rural; e agora essa já em fase de conclusão na Vila Operária para atender mais quatro localidades”, disse.

De acordo com o titular da pasta responsável pelas Obras, a intenção é garantir um serviço de qualidade por muitos anos. “A Prefeitura de Candiota vem trabalhando com a ideia de programar algo que tenha uma cobertura de abastecimento de água para 20, 30 ou 40 anos. Estamos trabalhando para o futuro. Quando pensamos no sistema de abastecimento de água na Vila Operária, idealizamos um sistema que possibilitasse cobertura para toda essa região que necessita suprir essa demanda e ainda os bairros que podem surgir no entorno, inclusive parte do distrito industrial”, registrou Artemio.

Conforme explicou, com a centralização do serviço em duas grandes ETAs, outro fator importante é a possibilidade do monitoramento 24 horas. “Esse atendimento durante todo o tempo também era um dos nossos objetivos, porque realmente precisamos ter um cuidado especial com a água que é a essência da vida. Com várias ETAs espalhadas no município, as equipes não davam conta de prestar atendimento e seguidamente ocorriam panes durante a madrugada, fazendo com que a população não tivesse água logo nas primeiras horas da manhã – o que não pode acontecer”.

De acordo com o prefeito Adriano dos Santos, a ETA da Vila Operária é sinônimo de qualidade, segurança e modernização

Para o prefeito Adriano dos Santos, a medida representa uma importante modernização no sistema de abastecimento de água. “O município vem investindo em qualificação da distribuição e da produção de água levando em consideração as distâncias das vilas e a existência de uma ETA em cada localidade à medida que foram surgindo. Com a da Vila Operária sendo colocada em funcionamento vai otimizar bastante o nosso sistema até de atendimento – ao invés de três ETAS, o abastecimento vai ser centralizado e com capacidade de atender até três vezes mais a demanda de todas elas juntas”, disse.

De acordo com o gestor, a conclusão da obra vem como um alento para toda a população de Candiota, que há anos sofria com a falta d’água principalmente no verão. “Além de nós conseguirmos modernizar o sistema, ainda vai ser possível concentrar esforços para manter sempre esse fornecimento visto que também estamos colocando um sistema de armazenamento de água e isso gera segurança. Sabemos que esse problema da Vila Operária, Seival, União, João Emílio e São Simão não é de hoje, isso vem de muito tempo, então agora Candiota se prepara para, por muitos anos, não se preocupar mais com a produção de água no município”, finalizou.

ADUTORA – O município ainda busca junto a Funasa, um recurso na ordem de R$ 2 milhões para a construção de uma adutora que interligue a ETA da sede do município até a barragem da Usina de Candiota (Prainha) para captação de água bruta, o que, segundo os técnicos, reduziria a quase zero a possibilidade de um desabastecimento na região em função de uma estiagem prolongada. Atualmente, a ETA é abastecida por água captada em uma barragem municipal localizada próxima ao trevo da localidade.

Nesta fase, de acordo com o engenheiro da Prefeitura, equipamentos já foram instalados

Comentários do Facebook