POLÊMICA

Projeto quer proibir linguagem neutra nas instituições de ensino bageenses

Augusto Lara (PL) preside a Câmara Foto: Divulgação TP

Um projeto de lei apresentado pelo presidente da Câmara de Bagé, Augusto Lara (PL) deve causar polêmica. Segundo ele, a iniciativa quer garantir o aprendizado de português de acordo com as normas e orientações legais de ensino estabelecidos com base nas orientações nacionais e determinações do Ministério do Educação (MEC).

Para Augusto Lara, em nota divulgada à imprensa, a proposta se deve ao fato de que a linguagem neutra (ou de gênero neutro) está sendo utilizada discriminadamente em comunicações e documentos oficiais de instituições educacionais em todos os níveis, tanto públicas quanto particulares. “Nossa intenção não é mudar ou regrar o uso da língua portuguesa, pelo contrário, é de proteger a língua e garantir que os estudantes tenham o aprendizado correto”, defendeu.

Conforme a nota, o gênero neutro é a substituição dos artigos feminino e masculino por um “x”, “e” ou até pela “@” em alguns casos. Assim, “amigo” ou “amiga” virariam “amigue” ou “amigx”. As palavras “todos” ou “todas” seriam trocadas, da mesma forma, por “todes”, “todxs” ou “[email protected]”.

O projeto já foi protocolado e deve tramitar nas comissões permanentes da Câmara, em um segundo momento ser submetido à apreciação do plenário para, se aprovado, receber a sanção do Executivo e se tornard lei municipal.

Comentários do Facebook